Aulas em pleno na Escola Superior Politécnica de Malanje há um mês


Um mês depois do inicio do ano académico 2017 na República de Angola, com um novo calendário para o ensino superior, A Escola Superior Politécnica de Malanje, reúne as condições necessário para o momento, o que satisfazem as expectativas do timoneiro da instituição.

Foi numa quinta-feira, 9 de Março, que o portão principal da ESPM abriu para estudantes e professores da academia, onde no presente ano entraram cerca de três mil novos estudantes nos cinco cursos:  Pedagogia, ensino da Matemática, Sociologia, Psicologia e Turismo e Hotelaria.

A ESPM conta actualmente com 21 sala de aula. Caso exista necessidade de mais salas o horário de funcionamento estender-se-á, em algumas turmas, para o período de tarde. Mas em princípio as condições estão criadas para o período da manhã.

O corpo docente nacional no ano académico fim foi de 78 professores, maioritariamente residentes na cidade de Malanje. Para o presente ano de 2017, em função dos contratos e da necessidade por disciplina, o número tende a aumentar. Um grupo de professores da instituição é fruto do I e II cursos que colocou centenas de licenciados em 2015 e 2016 no mercado de trabalho.

Dezesseis professores cubanos asseguram o curso diurno de Hotelaria e Turismo, e alguma parte dos cursos do período laboral.

O facto de alguns estudantes terem algumas disciplinas em atraso fará com que a população estudantil seja um pouco mais dilatada

 

Curso de Turismo e Hotelaria

Em 2017, o Curso de Hotelaria e Turismo no seu 4º ano conhecerá algumas novidades, apesar de a região estar desprovida de um Hotel-Escola. Os estudantes vão continuar com as aulas práticas nos hotéis sedeados na capital.

Os alunos do curso de Turismo e Hotelaria continuaram a participar em acções de exploração das zonas turísticas no Pólo Turístico de Calandula. Pois a ESPM tem um protocolo de cooperação com este Pólo. Os estudantes deverão emprenhar-se a fundo na questão do observatório daquela região, incluindo a exploração da zona das Pedras Negras do Pungo-A-Ndongo. Estes estudos devem interagir com a Administração Municipal de Cacuso, através da Direcção Provincial de Malanje da Hotelaria e Turismo.

O trabalho de investigação científica carece de mais dinamismo. A componente turística deverá estar no centro para satisfazer as necessidades completas (informação) dos turistas nacionais e estrangeiros que escalam à província. A descoberta do vazio.